Click here to edit title

Click here to edit subtitle

Blog

Testando no Bar

Posted by JJ on October 17, 2013 at 9:15 AM

 

Já que não quiseram tomar café comigo, fui tomar cerveja com vocês auhsahuashuhuas.

Para não perderem o pique e desistirem estou compartilhando algumas coisas do acontecimento:

 

Se postarem no face ou tuiter coloquem #testandonobar e #testandonobar(cidade) eu coloquei #testandonobarsp

 


Participantes:

Schmuel Gershon
Jorge Diz
JJ.

 


Discussões do bate papo.

 

O que é feito em Israel
O que é feito no Brasil
Qual o futuro dos testes
Qual o futuro dos testadores
Conhecimentos sobre projetos

 


O bate papo foi descontraído, conheci um pouco da cultura e como é a vivencia em Israel. Saber que por volta de 40% do investimento do país, é feito em tecnologia é sensacional, porém em contrapartida a maioria das grandes empresas que la estão são Americanas e que quando há uma crise, quem sofre primeiro são eles(cortando pessoas, diminuindo projetos, etc.).

 

Porém as grandes empresas estão la, IBM, Microsoft, Intel(Schmuel) entre outras.

 


Uma coisa importante que Schmuel me citou, quando perguntei sobre o mercado de trabalho, foi que la não tem mais aquela gana de trocar de trabalho de 6 em 6 meses, por trabalho melhor ou não, hoje eles reteem muito mais. Houve uma época na decada de 90 e anos 2000, que havia aquela bolha então sobravam motivações. Nota importante: Vejo o mesmo acontecendo no Brasil e que em breve isso estoure.

 


Outro ponto importante discutido foi que os testes não acabarão. Mas sim testadores ineficientes(Schmuel cita aqueles que fazem apenas aquilo que é mandado, ex: Você tem 20 casos de testes, e sempre faz aquele bloco sem mudar uma virgula, esse tipo de coisa não é bem vista pelo mundo a fora), testadores que não buscam o teste, e eu cito 'aquele macaquinho', que sempre está la só pra apertar e não pensar.

 


Uma coisa que foi conversada, e eu defendo muito é que processos definidos são importantes nos testes, isso Schmuel e Diz, disseram, que não adianta utilizar modelos de engenharia conceitual, bem como civil. Você cria pontes sempre iguais, e se encontra um erro nessa, na próxima corrige e mesmo assim fica igual. E nos softwares sempre são softwares novos(vide que ele trabalha com inovação e novas tecnologias o tempo todo). Isso me deixou enormemente com uma pulguinha. Aqui no Brasil a maioria copia, ou seja, faz um software pra um e só muda a cor para o outro, então nesse conceito é bom utilizar processos definidos. Realmente em novas tecnologias tem de se criar seu proprio processo. E isso me fez ir ao monte Myōboku meditar, quando terminar. Postarei algo.

 


Curiosidades:

Schmuel é nascido na venezuela, veio para o brasil aos 5 anos, morou até os 17 e se mudou para Israel, foi do exercito e fez faculdade. (A forma de entrar na faculdade lá é um vestibular mais voltado a conceitos de lógica). Ele mora em uma cidade próxima à Jerusalém(Amém) e cruza todo dia um território em disputa(West Bank) para ir trabalhar(e você reclamando ai de cruzar a zona leste);

 

Jorge Diz, é formado em tecnologia na argentina, mestre em engenharia pela faculdade de campinas. Ele veio da argentina aos 24 anos e nunca fez aula de portugues(eu erro mais ortografia do que ele aqui no forum). É desenvolvedor e lider de equipes, hoje trabalha em São Paulo e mora em Itu.


Categories: Eventos

Post a Comment

Oops!

Oops, you forgot something.

Oops!

The words you entered did not match the given text. Please try again.

Already a member? Sign In

0 Comments