Click here to edit title

Click here to edit subtitle

Blog


view:  full / summary

Testes para a primeira impressão de sua startup

Posted by JJ on January 10, 2016 at 4:50 PM Comments comments (0)

Boa tarde, na última organização do UAI TEST, abrimos inscrições para startups. A dinâmica era bem legal, onde a startup poderia apresentar suas ferramentas e angariar Beta Testers que são profissionais da área de Testes.


Muitos me perguntam: - Profissionais de testes testando meus aplicativos de graça? 


Essa pergunta pode parecer um tanto quanto comum para os jovens empreendedores das novas startups brasileiras, mas para os experiêntes e até os mais novos testadores não é uma dúvida a se ter. A visão não é testar seu aplicativo de graça, e sim compartilhar experiência e melhorar as nossas skills como testadores. Uma mão na roda para ambos os lados.

E não é novidade nenhuma, empresas internacionais já fazem isso à séculos.  

Dica: Ferramenta para testes beta em aplicativos móveis, Testfairy.



Como uma startup pode melhorar a qualidade de seu site.




Sabemos que ter uma idéia e colocá-la em prática é imensamente difícil, bem como mantê-la. O que deixamos por último as vezes é a forma de apresentá-la. Neste artigo mostraremos como melhorar a qualidade do seu site, seja para uma startup, um site de uma empresa ou qualquer ferramenta de apresentação.


Bom, o que o artigo trará de bom para sua startup:

 

  • Uma melhor impressão dos clientes potenciais
  • Melhor entendimento para visitantes sem um grau elevado de conhecimento
  • Ótima impressão por parte dos investidores(afinal seu publico alvo no início é esse né?)
  • Qualidade de software.

 


Vamos lá, utilizando os conceitos da metodologia que está sendo desenvolvida pela 4ALL Tests a Garantia da Qualidade Mínima, vamos definir o nível mínimo de qualidade com que uma startup deve apresentar seu website. Vamos utilizar o UFPe. Veja a apresentação em uma palestra no MTC 2015.

O triangulo da qualidade UFPe, prevê um mínimo de qualidade quando se atinge 3 características.



Funcionalidade


Para entender sobre a funcionalidade valide a seguinte pergunta:

Seu site corresponde à principal funcionalidade, apresentar seu(s) produto(s)?


Se a resposta é sim para você, não fique feliz. Dê este site para a sua avó de acima de 65 anos ou ao seu primo de 8 anos e peça a ela(e) que navegue rapidamente e diga a você o que este site propõe. 


Outra funcionalidade essencial:

As pessoas conseguem entrar em contato contigo através do seu site?


Uma terceira pergunta:

Ao acessar o site, descubro com facilidade quem é seu público alvo?


As funcionalidades do site como: links, blocos de notícias, menus, e outras ferramentas são importantes métodos de apresentar o produto, daí a validação de conteúdo é ligada à Usabilidade, próximo tema.


Usabilidade


A principal dor de cabeça em um site se chama usabilidade.

Usabilidade é a forma com que o usuário tem utilizar a funcionalidade. Hoje, o conceito de UX está presente em 200% das Startups, porém, estas, sabem o que é UX? E a UI? Como que o usuário pode obter uma experiência bacana sem saber como utilizar a UI?


Para melhorar a Usabilidade do seu site, temos 4 características que devemos estar atentos:

  • Navegação
  • Conteúdo
  • Identidade
  • Acessibilidade 

 


Na navegação, destacamos algumas regrinhas:

 

  • navegação principal é facilmente identificável;
  • quantidade de botões e links é razoável;
  • logo do site é linkado à página inicial;
  • links são consistentes e fáceis de serem identificados;
  • caixa de busca é de fácil acesso.

 

Dica: Se pergunte com quantos passos quem está acessando o site consegue identificar qual a funcionalidade, ou até, em quantos passos seu investidor consegue entender seu negócio?



No conteúdo, destacamos:

 

  • títulos são claros e descritivos;
  • estilos e cores são consistentes;
  • ênfase (bold, etc) é usado de forma moderada e adequada;
  • anúncios e pop-ups são não obstrutivos;
  • texto é conciso e explicativo;
  • URLs são amigáveis;
  • títulos HTML são explicativos.

 

Dica: Se pergunte, quantos impeditivos meu cliente tem para entender o que meu app faz?



Na identidade, destacamos:

 

  • logo do site está bem posicionado;
  • acesso rápido a informação da empresa;
  • acesso rápido a contato com a empresa.

 

Dica: Entre no seu site e encontre o endereço da sua empresa, seu investidor vai querer saber onde você fica, não é mesmo?



Na acessibilidade valide:

 

  • tempo de abertura do site é razoável
  • contraste entre texto e fundo é adequado
  • tamanho de fonte / espaçamento facilita a leitura
  • flash e add-ons são usados moderadamente
  • imagens possuem ALT tags

 

Dica: Acessibilidade também se remete a facilidade de utilização por meio de deficientes, sejam auditivos, visuais, ou tantos outros casos, consulte formas de apresentar seu site ou ferramenta à este público também.


Performance


Essa qualidade aqui hoje em dia é uma das fundamentais, você é da época da internet discada? Não? Então você não sabe o que é esperar para carregar um vídeo do Youtube. Desta forma, você acha que seu cliente vai esperar para carregar uma página em flash, ou colorida que tenham milhões de imagens de 1MB cada?


Hoje, a importância da performance é muito maior e só tende a crescer, realizar testes de Carga(medir a quantidade máxima de transações, que seu sistema consegue suportar) e, realizar testes de Volume(medir o comportamento do sistema em variações de quantidades de transações e acessos em um determinado período) é fundamental. Mas para os sites que apresentam os negócios, nada mais fundamental que um teste de Stress(medir o nível mais baixo com que o sistema consegue se adaptar),


Teste de Stresse não é tentar destruir o sistema(não se estresse rs) e sim submeter ele à capacidades mínimas de ambiente.


Dica de Teste de Stress: Pegue seu smartphone, coloque um chip pré-pago, acesse o seu site e veja se ele carrega todo em menos de 10 segundos.


Bom pessoal, espero que estas dicas sirvam para quem quer criar um site, ou até mesmo tenha uma startup em início de desenvolvimento e gostaria de atingir uma qualidade mínima para apresentação de seus produtos e ideias.


Quer que a 4ALL Tests valide sua startup? Entre em contato.

Está na história

Posted by JJ on December 14, 2015 at 5:00 PM Comments comments (0)

Acompanhando a evolução dos Testes, o site Aprendendo a Testar, traz a vocês um resumo sobre a história dos Testes de Software. 

Aos poucos a migração do Aprendendo Testar hospedado no Webs.com, vai para o domínio próprio da 4ALL Tests.




Migração:

Sobre - concluído

Guia - concluído

Exercícios - em andamento

Ciência - em andamento


E tudo o que mudou para o novo site, está sendo produzido. O intuito do aprendendo testar, é aquele: Entrou um funcionário novo para a equipe de Testes, você não tinha um local com informações suficientes e forma de passar o conhecimento. O Aprendendo Testar veio para isso. E muito mais, você treinador de testes, blogueiro ou empresa que gostaria de um local para servir de base, o Aprendendo Testar está ai.


Com metas de melhoria as criações dos módulos de conhecimento estão a todo vapor, e sempre haverão complementos, bem como melhorias e correções de erros:


Criação:

Comunidades: Pronto 

História: Pronto

Ferramentas:  em andamento

Automação: em breve novidades

Gestão: em andamento.



História: 

 

Reza a lenda...

 

Em meados de 1979, nascia os Testes de Software, Glenford Myers publicava seu primeiro livro: A arte de Testar Software ou A Arte dos Testes de Software.... continue lendo.


Quem são os Destaques 2015

Posted by JJ on December 10, 2015 at 6:05 PM Comments comments (3)

Foi encerrada nesta tarde de quinta-feira(10), a votação para os destaques 2015 da comunidade Agile Testers. Votação que como tantos outros assuntos em 2015 rendeu muita discussão. Foram 6 categorias em votação para destaques do ano em Testes de Software: profissional, blog, portal, evento, empresa de treinamento e iniciativa. Esta que foi a 2ª etapa da votação, teve como "disputa", os mais votados da 1ª etapa, que foi realizada em meados de agosto e setembro, onde qualquer um que contivesse o link da pesquisa, poderia indicar seus favoritos.

Assim, compilados estes votos, foram indicados os DESTAQUES de 2015:


Blog:

Os blogs em destaque no ano foram:
Blog do Stefan Teixeira
Testes de Sofware
Keep Testing
Talk about Testing
Blog de Qualister
Blog da ThougthWorks
Blog do GUTS-RS
Bugs Busters

Meu voto foi no Blog do Walmyr Filho, que este ano postou vários artigos sensacionais ao meu ver, e mereceu sem dúvidas, pra mim, o destaque de 2015.

Quem levou foi:


Empresa de Treinamento:


Qualister e Iterasys como as mais conhecidas do Brasil, não podiam estar de fora desta lista, a surpresa mesmo ficou por conta de duas novatas: 4ALL Tests e QALAB. Ambas iniciantes, cada uma optou por um tipo de estratégia diferente das concorrentes, enquanto a QALAB se especializou por Treinamentos Online, a 4ALL Tests optou por oferecer treinamentos presenciais, assim se limitando a região sudeste.


Meu voto, logicamente tendencioso foi para a 4ALL Tests, hehe.


Quem levou foi:



Evento:


Este ano de 2015 foi o ano que mais ocorreu eventos na história dos Testes de Software no Brasil. Foram listados 6 eventos destaques: Os 3 TDCs com suas trilhas de Testes de Software mais que conhecidos nas comunidades e até fora delas, e mais 3 eventos que ocorreram este ano, Testadores 2015(1ª versão), que ocorreu em São Paulo pela comunidade Testadores, Minas Testing Conference que ocorreu em Belo Horizonte e OctoberTest que ocorreu em Florianópolis.


Meu voto, podendo até parecer tendencioso, mas sim levando para o lado da novidade, foi o único evento que não teve apenas palestras de todos os indicados, espero em breve ver mais eventos que não hajam apenas palestras.


Quem levou foi:




Iniciativa Destaque:


A página de autores do Qualidade de Software.com.br, trouxe à tona, o perfil daqueles que estão todos os dias nas comunidades de testes, tentando melhorar o dia a dia do testador. O MTC, foi premiado também estando neste quesito, pois mexeu em uma comunidade que estava parada, a da capital Mineira, a qual, não tem costume de ir à eventos, estar presente em comunidades e muito menos buscando melhoria à cada dia. Hangout e Desafio dos testes, foram de 2014 que vingaram em 2015 e se destacaram, trazendo à votação como melhores do ano. A revista de testes que apareceu como uma nova fonte de conhecimento, finalizou o ano meio em silêncio, há rumores que em 2016 possa ser melhor para a franquia.


Meu voto, novamente foi para uma iniciativa do grupo 4ALL a revista O Mundo dos Testes, que teve inicio em 2015, hehe.


Quem levou foi:



Portal:


O Portal Qualidade de Software, vem se modificando com o passar dos anos, e cada vez melhor, este ano sem dúvidas merece estar entre os destaques, junto com ele vieram testadores.com.br, fabricadeteste.com.br, o novato OTapioca e o nosso 4ALL tests, que este ano também trouxe várias novidades com a entrada de novos eventos, iniciativas e a melhoria do Aprendendo Testar.


Meu voto, novamente foi para a 4ALL Tests, hehe. Mas desta vez, eu havia votado no Qualidade de Software, mudei de ultima hora pra levar o vice, hahehhe.


Quem levou foi:


Profissional Destaque:


Esta que foi a votação mais polêmica de todas as 6, trouxe à conhecimento das 3 comunidades(DFtests, Guts-rs, AgileTesters) com mais discussões do país, um nome, a pouco desconhecido para ambas, Oscar Correia. O profissional que foi lembrado por uma grande massa na votação final, apareceu por lembrança de seus colegas de Trabalho. O que causou revolta entre alguns grupos de Testadores. Antes de mais detalhes vejam quem foram os indicados:

- Stefan Teixeira - Palestrou até em marte em 2015, foi o nome da área de testes mais visto em eventos.

- Elias Nogueira - O já 'vovô' dos testes, encabeçou mais 3 coordenações de TDC, e também foi figura constante em outros eventos e nos hangouts.

- Samanta Cecilia - Este ano apareceu de vez, para as comunidades de testes através de suas palestras e por fim, iniciou uma nova comunidade de testes no rio, tentando mudar o que a antiga geração deixou.

- Leonardo Galani - Figura constante nas comunidade, rodas de discussões e é o próprio fundador da comunidade Agile Testers.

- João Júnior - se zé, que vos fala. Tenta de várias formas melhorar o dia a dia dos testers, sendo com eventos, e varias outras iniciativas que estão ai neste post.

- Frederico Moreira - Fundador do MTC, e palestrante em vários eventos neste ano, foi a cara da mudança em um importante centro este ano, além de trazer muita informação em seu blog(um dos que mereciam estar nesta lista)

- José Correia - O dinossauro dos testes, trabalhou para melhorar a qualificação profissional de vários que estão lendo este post, bem como foi um dos responsáveis pelo evento Testadores e também é fundador da Iterasys.

- Eduardo Oliveira - Encabeçou várias iniciativas com o GUTS-RS, e esteve presente em vários hangouts, além de sempre estar presente nos eventos presenciais e gerando várias discussões no sul.

- Kamilla Queiróz - Iniciou a trajetória de uma escritora nata, este ano encabeçou iniciativas como hangout nordestino e um novo portal de tecnologia.

- Oscar Correia - Até então desconhecido desta galera toda, apareceu nos meados das votações e escreveu excelentes artigos com outras visões. Ainda está em ascensão.


Meu voto, foi para o Fredão que para mim foi o destaque lutando e levando seu nome à frente de um projeto para o bem de todos, com este projeto pessoas que ainda não tinham tanto destaque tiveram assim a oportunidade de aparecer e fazer muita coisa boa também. 

Quem levou foi:





O resultado


O resultado é algo a se levar para a vida toda, bem como todas as discussões que foram envolvidas em torno destes, não só em relação à quem levou, mas sim a todos que tiveram a oportunidade recerber votos. Reclamações sobre votos e pessoas cadastrando apenas para votar, nessa brincadeira o forum agile testers, pulou de 460 usuários para 784(hoje no momento da retirada dos dados).

O que fica de lição, é que nem se pode agradar a todos sempre, a brincadeira foi criada com um intuito que era 'homenagear' a galera da própria comunidade e acabou que acrescentou em muito(vide quantidade de novos usuários), e assim pode-se abrir a mente quanto a angariar outros públicos. 


Estivemos aqui sendo lembrados como empresa, mesmo tendo iniciado neste ano tão dificil e já chegando nesta votação, mas tem outras que poderiam estar lá: T&M Tests, Adaptworks, TIExames entre outras. 

Nos Blogs, senti falta do Blog do Fredão não estar nesta lista final, poderia muito bem concorrer, sem falar de profissionais que este ano foram destaques por muitos motivos:

- Gabriel Oliveira - Comandou os hangouts with Testers, mas tenha a certeza que a indicação do próprio hangout em 2 categorias ele esteve presente nessa votação.

- Robson Agapito - Com a organização dos eventos Testadores em São Paulo e vem fazendo palestras no Brasil todo.

- Augusto Magalhães - Organizou vários eventos em fortaleza, é um pioneiro, saiu muita coisa boa de lá e ainda organiza várias iniciativas maneiras por lá. 

- Luana Lobão - Vem trazando o nome do norte, para os testes em várias áreas, palestrando em eventos acadêmicos e escrevendo vários artigos de destaque nacional.


Toda a Galera que organizou evento de testes este ano:

- Rayla Tanache, Cristine Caneloro, Tatiane Fukuda, Patricia Oliveira, Aline Zanin, Samantha Morais Nunes, Mateus Bruno, Thiago Luna, Alex Wamling, Fernando Santiago, Leonardo Giacomini, Frederico Allan,  Ramsés Saccol, Fernando Ruano e vários outros que lutam para que nossa área tenha mais qualificação e reconhecimento.

Um destaque também que gostaria de lembra é a Lorena Caldas, que sozinha, vem divulgando tentando fomentar e criar discussões para uma nova comunidade na Bahia. 

No mais um grande parabéns a todos que participaram em todas as circunstancias.

Que venha 2016.

Top 2015

Posted by JJ on November 20, 2015 at 8:00 AM Comments comments (0)

Chegando ao final de 2015, um ano difícil para o povo Brasileiro, economicamente e socialmente.

Na contramão deste arroxo nacional, está a área de Testes de Software.

 

“Nunca na história desse país”:

 

  • A área foi tão valorizada;
  • Existiram tantos grupos regionais;
  • Foram criadas iniciativas para divulgação e melhoria da qualificação do profissional;
  • Foi tão discutido o futuro da área;
  • Houve tantos eventos novos e promissores;
  • Pessoas novas virando referências;
  • Colaboração;

 

 


Enfim. 2015 a área de testes mudou. Ainda não consigo dizer se para melhor ou para pior, sempre há os dois lados da balança, bem como quando se fala em qualidade(bom ou ruim), se pode dizer que todos estes pontos citados acima, tiveram seus lados ruins. Mas que se for colocado em uma balança, sempre penderá para o lado positivo.


Exclusivamente ontem, o Corinthians foi Campeão Brasileiro após garantir matematicamente o feito. Um time apenas não consegue vencer algo tão longo e para isso é necessário um elenco. Para gerir este elenco uma pessoa foi essencial, seu Adenor(TITE), o cara é o melhor técnico do país atualmente e consegue gerenciar uma equipe com tantos egos(algo gigantesco no futebol, só lá?). E além de tudo ele faz os jogadores que são icones se destacarem e ainda fazer os que estão no banco se destacarem também.


E é disso que quero falar aqui. Algumas pessoas foram TOP este ano todo e fizeram muita coisa por seu ‘ecossistema’ independente de algo que as previlegiassem e muito menos algo para aparecerem. Vejamos:

 



Cristine Candeloro


A Cris trabalha em uma empresa fortíssima no cenário nacional de desenvolvimento de software, luta a cada dia mais para a melhoria da qualidade, trabalhou este ano e conseguiu resultados que antes eram vistos com olhar de deboche: “é da área de testes”. Uma pessoa que vem mudando seu ecossistema local, com grande maestria. Gerou discussões internas, criou eventos e levou vários profissionais de fora para mudar a cultura local.

 


Augusto Magalhães


Colocou a 10 e a faixa. Com um balão estilo futebol americano, quando a bola se aproximou do chão disse: Xácomigo! Dominou no peito e foi. A comunidade do CE foi a que mais cresceu em 2015 e o maior responsável é esse cara. Gerou discussões, trouxe para a lista de e-mails, várias posts interessantes, se preocupou em ajudar todos: TODOS, que postaram dúvidas na lista de e-mails(a qual foi uma das maiores do Brasil em 2015). Sem falar que nos eventos.

 

 


Robson Agapito


O cara que botou no mapa uma equipe de testes como referência nacional, palestrou em 2015, levou a equipe à se destacar e instigou os companheiros a fazerem a diferença. Realizou parcerias e criou um evento gratuito para os testadores se qualificarem e ainda melhorarem sua networking.

 


Eduardo Souza


Ele já é top a mais ou menos 35 anos de testes, o cara melhorou o site Qualidade de Software, tornando-o o melhor portal de testes do Brasil. Além dessa preocupação geral, o cara sempre está disposto à responder alguma pergunta em uma das listas de emails nacionais, se preocupando com o aprendizado do outro e sem perder o humor, sempre está trazendo risos para pessoas que vivem em pressão.

 


Frederico Moreira(FREDÃO)


Está a frente da comunidade da capital mineira e está mudando o conceito em que o pessoal deve ficar apenas com a ideia de não se aperfeiçoar e melhorar a networking. Fruto do trabalho conseguiu realizar o Minas Testing criando uma equipe sensacional e conseguindo os apoios necessários, para você saber da magnitude que é organizar algo assim primeiro organize um churrasco na sua família. Realizou encontros neste ano, e palestrou em vários estados brasileiros.

 

 

 



E tiveram muitas outras pessoas que fizeram a diferença... Você consegue imaginar alguém que fez a diferença no seu dia a dia, sem você nem mesmo se ligar nisso?

UAI TEST 2015 cancelado

Posted by JJ on November 16, 2015 at 8:00 AM Comments comments (0)

Infelizmente o cancelamento do UAI TEST em 2015, teve que ser realizado. Já foram feitos os avisos a todos os inscritos e patrocinadores, agradecemos o apoio e a compreensão.


Veja nota:


www.uaitest.com.br/cancelamento

Grade UAI TEST 2015 fechada

Posted by JJ on November 9, 2015 at 6:35 PM Comments comments (0)

Para um evento no interior de minas, trazer tanto conhecimento e tanto tema bom como o UAI TEST está trazendo para 2015, é uma honra poder participar e esperar sua presença no evento.

 

Preparamos um evento especial que contará com:

 


Palestras:

  • Docker para testers - Um passeio fora da caixa - Frederico Moreira
  • Protractor - Testando aplicações AngularJS - Diogo Costa
  • Trabalhando de forma efetiva com código legado - Felipe / Guilherme

 


Talks:

  • O que a IOT vai mudar no Mundo do Teste de Software - Alan Nascimento
  • Mind Maps aplicados ao Teste de Software - José Correia
  • Estratégias para uma equipe de Projeto Ágil - Oscar Correia

 


Minicursos:

  • Minicurso Selenium Wrapper - Frederico Allan
  • Minicurso ALM e Microsoft Test Manager - Alan Morais

 


E não é só isso, teremos outras atividades durante o evento.

 

  • Debate
  • Networking
  • Fishbowl
  • Mostra de startups
  • Estandes de patrocinadores


 

Já fez sua inscrição?

Corre que já está chegando a hora.

Data: 21 de novembro

Local: UNIUBE Campus Rondon, Uberlândia MG.

Horário: 08h às 18h30.


 

Inscrições: www.uaitest.com.br/inscricao

Vem ai o OctoberTest

Posted by JJ on June 21, 2015 at 5:35 PM Comments comments (0)

Vem ai galera o OctoberTest.



 

A 4ALL Tests criou o evento para trazer mais interação para os participantes e patrocinadores;

Uma de várias iniciativas que estamos criando, além de eventos e apoio à comunidade de Testes.

 


Projeto

Será nos mesmos moldes do UAI TEST.

 

 

  • Palestras;
  • Minicursos;
  • Apresentação de Ferramentas;
  • Apresentação de cursos;
  • Dojo;
  • Debate;
  • Mesa redonda;
  • Networking.

 

 


Em Florianópolis.

 

  • A cidade conta com uma demanda muito grande de profissionais da área e com um evento nacional onde vários temas são colocados em pauta, no mês de maio;
  • Os Testes estão presentes. E o publico lota o evento, onde a pauta de Testes é sempre a primeira a esgotar as inscrições;
  • Profissionais do Brasil todo já demonstraram interesse em visitar a cidade durante a realização do evento.

 

 


Ajuda Social

Em todos os eventos da 4ALL, organizamos arrecadações.

Neste dia 12 de outubro, teremos o dia das crianças, e faremos arrecadação de brinquedos para uma instituição de caridade.

Sua empresa também pode fazer parte deste projeto, doe.


Caso queira entrar em contato: [email protected]


 


Entenda que: a área de Testes não é a Casa da Mãe Joana

Posted by JJ on February 5, 2015 at 11:55 PM Comments comments (0)

Muito se discute sobre a Área de Testes de Software(ser nova ou não, reconhecida ou não). Muitos mitos e discussões existem.

Mas todos tem que ter em mente que para todas as áreas suas tarefas existem, e cada um tem de desempenhá-la da forma mais correta, coerente e o principal: Mais Profissional possível. E como diferenciar o amadorismo, o achismo, o tentativismo do Profissional?

Simples, saber o que está fazendo. Se você sabe do que está fazendo e aliado ao conhecimento e técnicas sabe mixar e alinhar isso tudo, você pode fazer algo mais Profissional(logo se baseando em técnicas, metodos e fatos).

 

Entenda que:

 

Na Área de Testes de Software


- Existem papéis definidos (Testador, Analista de Testes, Automatizador de Testes, QA, Arquiteto de Testes, Engenheiro de Testes, Líder de Testes, Especialista em Testes, Coordenador de Testes, Gerente de Testes) e todos eles são TESTADORES.

- O testador não programa

- O testador TAMBÉM programa

- O testador não é apagador de incêndios (Quem apaga incêndios é Bombeiro).

- O testador não é quebra galho (ele tem suas tarefas e essas tem de serem finalizadas)

- O testador mostra resultado, o qual é utilizado pela qualidade

- Existem processos de testes

- Existem metodologias de testes

- Existem técnicas de testes (acho que pode dar erro aqui!) Não! Existe uma técnica para prever isso, existem técnicas que ajudam a trabalhar sem ser uma abordagem pela experiência.

- O testador estuda o tempo inteiro

- O testador TAMBÉM acha defeitos, mas não só ele

- Vim da área de suporte e preciso aprender o que é um Caso de Teste

- Vim da área de programação e tenho que aprender o que é um fluxo alternativo

- Testadores participam de eventos

- Testadores estudam fora do trabalho

- Testadores ensinam a programar

- Testadores ensinam a criar processos

- Testadores usam ferramentas para testar

- Testador não põe o dedo na boca e põe de volta no ar para saber se está ventando. (Ele olha para as árvores, quando não tem uma ele cria algo para validar isso)

- Testador Valida um Cenário de Teste

- Testador não Verifica um Teste ele Valida!

- Testador Verifica processo

- Verifica documentação.

- Testador tem Copa do Mundo da área


Se você gostou desse post, compartilhe para seus colegas e "chefes".

Se você gostou desse post, também vai gostar desses abaixo:

 


Por

João Júnior

O que vocês fazem?

Posted by JJ on January 27, 2015 at 10:50 PM Comments comments (0)
Em pleno 2015...

Essa foi a frase mais esperada na chegada desse ano. 

Então, para começar o ano bem, um artigo que vem de encontro ao que diz no bordão e à um assunto que volta e meia é debatido. O fato de saber o que temos que testar, para a partir dessa resposta iniciarmos nossos trabalhos. 




Enfim, sabermos o que temos que testar é algo importantíssimo, daí nos dá um próximo passo, o que temos que garantir, assim atuando com os 5W2H. Podemos então, voltar à temas já mais que discutidos anteriormente em várias comunidades, livros, eventos e demais. Onde, na maioria dos casos, cerca de 65% se chega à conclusão de que devemos levar em consideração às características conhecidas e listadas pela extinta ISO-9126.

 

  • Funcionalidade
  • Usabilidade
  • Performance
  • Manutenibilidade
  • Portabilidade
  • Operacionabilidade
  • Eficiência
  • Segurança
  • Conectividade
  • Continuidade

 

 

 

Mas, daí sempre vem aqueles comentários: "Poxa, o mundo mudou", "Isso é coisa de dinossauro", "Cade agilidade?", "A vida não é mais como antigamente". 

Então surgem as perguntas:

O que temos que realmente testar?

O que temos que garantir para que o sistema possa ser entregue ao cliente?

O que devemos garantir principalmente?

O que devemos garantir no mínimo?


Perguntei à alguns colegas que são destaques no Brasil do Oiapoque ao Chuí, a seguinte interrogação: 

"O que devemos garantir minimamente para aprovar um SW?" As respostas foram as seguintes:


"Em dias atuais, devemos pensar em usabilidade, o sistema pelo menos deve ser intuitivo e de fácil manuseio. O usuário ao olhar pela primeira vez para um SW ele tem de se familiarizar, identificar facilmente qual o intuito e como chegar ao seu objetivo.
Depois deste, as funcionalidades básicas e seus desdobramentos devem ser garantidos. Desempenho e capacidade vão sendo avaliadas e melhoradas de acordo com a necessidade real deste Software.
"


Kamilla Queiróz
GTS-CE




Robson Agapito
Testadores.com

" Sempre devemos olhar para o risco, e levar em consideração onde se perderá dinheiro.
Se for um software de vendas, o ponto mais importante pode ser no checkout, que finaliza a venda, então seria onde focaríamos os testes.
Sempre os seus casos de testes devem estar priorizados conforme a criticidade, e a partir disso testar o mas crítico primeiro e testar os casos de menor criticidade depois conforme o tempo disponível.
Outro detalhe, comece pelo "happy path", pois se este não funcionar nem vale a pena continuar o teste do "pacote" disponível.
"



"A garantia de que as expectativas do dono do produto sejam atendidas.
Mas você me fala: "Só isso?"
E eu digo: Sim!
Podemos ter a nossa experiência para colaborar e lapidar essa ideia, mas no final de contas, essa expectativa é a que precisa ser atendida. Linha de pensamento: "Ele pensou em algo, ele vai administrar (de maneira ou outra) e ele precisa estar confiante com aquilo. Sobre a tecnologia e como vai ser feita, isso é parte do nosso entusiasmo".
"


Ramsés Saccol
GUTS-RS




Vimos aqui várias opiniões e respostas para a mesma pergunta. O que se tem, são, visões e ambientes diferentes que resultam em diferentes formas de abordar um determinado assunto. 
Assim, uma das várias faces do Teste de Software que venho pesquisando à fundo nesses últimos anos, é com o intuito de trazer algo que possa servir para vários tipos de abordagem, ter visões iniciais, onde podemos partir do mesmo princípio para poder assim após este princípio chegar aos seus níveis de conhecimento e de atuação.
Um dos grandes desafios hoje é ter um conceito base à toda área de desenvolvimento de software. Se fizermos a pergunta a 50 pessoas envolvidas no desenvolvimento de software, em todo o Brasil, teremos cerca de 80% das respostas uma diferente da outra.

Um novo capítulo da Literatura dos Testes de Software, a Era que transcendem os Livros e vão de encontro à internet, diretamente nos Blogs.


Respondendo à pergunta feita em uma frase:

"Devemos garantir inicialmente 3 pontos, duas características vistas até hoje como principais: Usabilidade e Funcionalidade. E uma terceira característica relevante ao negócio"


Vamos à parte científica da resposta:

Desenvolvi uma prática bem interessante para partirmos do pressuposto de cada tipo de sistema com que vamos lidar. Uma técnica que persiste em definir um Triângulo da Qualidade onde vamos respeitar 3 lados que buscaremos garantir ao longo do projeto até sua entrega(o que garante no mínimo esses três pontos definidos no início).

SG = UF + x
Dado que Sistema Garantido é um sistema que atenda Funcionalidade e Usabilidade mais uma terceira característica relevante ao negócio.


Qual a diferença do que temos até hoje?

Nos últimos 15 anos recebemos um grande volume de literatura e uma massa enorme de informações para podermos atuar, para garantir a qualidade de um sistema. Técnicas para atuarmos no desenvolvimento e novas formas de desenvolver. Contudo, poucas formas de simplificar, poucas metodologias com que nos ajude de forma rápida a dizer o que temos que fazer, para garantir o mínimo. Podemos encontrar outras, utilizar outras e até aplicar metodologias de outras áreas de atuação dentro do desenvolvimento de um software. Mas essa vem de encontro ao que chamo de "praticidade de informação", ter aquele norte de forma prática.


Qual a metodologia?

Ao longo dos anos, viemos aprendendo novas técnicas de desenvolvimento dos testes e do controle da qualidade, porém, partindo de um lado gerencial e analítico para definirmos onde queremos chegar, foram poucas as novidades. 
A metodologia do Triângulo dos Testes, nos trás uma simplificação, uma forma de buscarmos aquela qualidade do software com que perdemos ao longo do desenvolvimento de um software. Com o passar do tempo dentro de um ciclo de desenvolvimento, seja ele um ERP de 30.000 horas de desenvolvimento, seja um Hotsite com 200 horas de desenvolvimento. Nos perdemos na hora de garantir o básico. 
Os pontos básicos para a garantia são esquecidos durante o desenvolvimento do software, então com esta simplificação, poderemos buscar a todo momento o que vamos garantir e chegar no resultado, seja após 15.000 depois do planejamento inicial do ERP, sabendo onde queremos chegar, seja, após 100 horas do desenvolvimento do Hotsite.


Como vamos definir os pontos a serem principais?

De acordo com o negócio de atuação do sistema. A base do triângulo, nos definimos com duas características: 

  • Funcionalidade
  • Usabilidade

A funcionalidade, é definida como base, pois nenhum sistema deve ser entregue sem as funções as quais ele deve atender. 
A usabilidade, é definida como base, pois o sistema tem de ser pelo menos utilizável

A terceira, é definida como variável através do negócio do sistema. 


Triângulo dos Testes de Software.

Partindo desta garantia, vai de cada tipo de negócio e exigência a partir do cliente, garantir outras características, bem como Portabilidade(hoje a 3° principal característica de um software), Performance seguida de Segurança. Entre outras mais especificas.


Triangulo UFPo


Triangulo UFS


Triangulo UFPe



A proposta é apresentar este novo método, essa visão dos Testes de Software. Bem como uma atual orientação dos testes. Um princípio atual e futuro, de onde possamos partir dele. Visto que é embasado em tudo o que foi dito no passado até hoje e prontamente utilizando esta base, para fazer esta melhoria consideravel na visão dos Testes de Software. 


Conhecendo os Triângulos dos Testes


Entendendo que nós precisamos garantir um mínimo de Qualidade, então sugiro essa metodologia de Garantia mínima da Qualidade. Aqui descrevemos sobre 3 tipos de Triângulos iniciais da Garantia da Qualidade.

Sabemos que temos que garantir os cenários de testes referentes à Funcionalidade e a Usabilidade, então, qual outra característica devo acrescentar? 



Triângulo UFPo

     Com esta abordagem, você pode prontamente definir o inicio dos Testes, com testes mínimos garantindo a qualidade pela Usabilidade, Funcionalidade e Portabilidade.

     A portabilidade representa a garantia do nosso sistema funcionar minimamente em mais de 1 plataforma. Nos casos Web, de funcionar em mais de um Browser, nos casos Mobile, funcionar em mais de 1 aparelho homologado.

Tipos de sistemas:

  • Sistemas Web
  • Sistemas Mobile
  • Games

     Assim ao definir que utilizaremos este Triângulo no inicio do desenvolvimento para garantir estas três caracteristícas, garantiremos que nosso sistema satisfaz os critérios mínimos das funcionalidades, é usável e possível de ser utilizado em mais de uma plataforma.



Triângulo UFPo



Triângulo UFS

     Com esta abordagem, você pode prontamente definir o inicio dos Testes, com testes mínimos garantindo a qualidade pela Usabilidade, Funcionalidade e Segurança.

     A Segurança é algo cada vez mais essencial nos dias de hoje, visto que a informação está para qualquer um na internet inclusive com a web em nuvem hoje.

Tipos de sistemas:

  • Sistemas que envolvem transações e integração entre sistemas.
  • Sistemas envolvendo Informações pessoais
  • Sistemas em Nuvem

    A abordagem definida com o Triângulo UFS, sugere uma garantia das características do sistema com a relevância em Segurança, assim, os termos de Usabilidade e Funcionalidade, devem por si, atuarem também com cenários que tendem a garantir que dados sejam protegidos pelo sistema.



Triângulo UFS

 



 

Triângulo UFPe

     Com esta abordagem, você pode prontamente definir o inicio dos Testes, com testes mínimos garantindo a qualidade pela Usabilidade, Funcionalidade e Performance

    Um sistema lento, que não utiliza de forma adequada os componentes utilizados pelo Hardware, sem uma arquitetura de código bem definida hoje pode ser algo prejudicial ao negócio do cliente.

Tipos de Sistemas:

  • Sistemas embarcados
  • Sistemas Desktop
  • Sistemas BI

    Com a abordagem do Triângulo UFPe, você define que abordará as regras de negócio e usabilidade, mas não apenas, que se preocupara com a arquitetura do software, e quão rápido você consegue obter a informação e dispôr ela na tela.



Triângulo UFPe

 


Esta metodologia pode ser utilizada livremente, também combinada com qualquer tipo de característica. Assim dependendo do usuário que esteja realizando o planejamento. As sugestões dos três Triângulos são sugestões aplicáveis.

 


Pirâmide da Qualidade de Software 

Após termos em mente que o mínimo necessário no nosso atual cenário mundial de Qualidade de Software, temos então 2 características fundamentais e uma variável.

SG = UF + x

Vamos evoluir o cenário da Abordagem da Garantia de Qualidade e quais características e Testes utilizar para  garantir com mais profundidade o Sistema.

Se combinarmos os 3 triângulos principais, citados acima, teremos a Pirâmide dos Testes. Assim, teremos uma maior garantia com cenários de testes em várias características.

Podemos também definir os quatro quadrantes base de sua pirâmide, assim definindo o Quadrado dos Testes. Porém em um segundo momento considerando o 5° elemento(o qual seria a ponta da pirâmide).


SG = UF + xy ± z  
logo
SG = UFxy + z ou SG = UFxy - Z






Pirâmide dos Testes





Assim, ao ser perguntado novamente, poderemos ter algo na ponta do lápis(lingua), para respondermos onde queremos que nosso sistema atenda com uma Qualidade Mínima que se espera dele.
Este artigo mostrou ainda que de forma simples um norte para você iniciar seus Testes, sabendo o que você deve garantir ao menos para entregar seu produto. 
Lembrando que esta sugestão metodológica não é uma Garantia Completa, mas sim a Garantia Mínima. 


Contribuições e Revisões: 
Ramsés Saccol
Kamilla Queiróz
Robson Agapito
Patrícia Araújo
Luana Lobão
Augusto Magalhães

Por

Retrospectiva 2k14

Posted by JJ on December 26, 2014 at 12:50 AM Comments comments (1)

Ta certo que antes eu não era tão participativo às comunidades, mas esse ano, acho que não fiz muita coisa não, só

 

- Organizei o 2° Workshop de Testes de Software em Uberlãndia.

- Escrevi alguns exercícios para o AT.

- Encontrei um bug no Whattsapp(que foi corrigido após o reporte).

- Fui no Evento Aniversário do Teste em SP.



Eduardo Souza no Aniversário do Teste

- Participei dos Eventos online(TechDay Recife, Hanghouts)

- Morei em SP e SC, em ambas as capitais, para trabalhar com Testes.


- Publiquei 2 apps para ajudar a estudar para a Certificação CTFL

- Foram 25 posts publicados no 4AT.

- Tive integração com vários profissionais de renome da área, fiquei com saudade de amigos que fiz na área.


- Escrevi um post em inglês para uns amigos Indianos.

- Tirei dúvidas sobre selenium para um Indiano.

- Criei o Aprendendo a Testar


- Ajudei a organizar o UAI TEST


- Ajudei a gerar idéias de sucesso.

- Realizei 2 pesquisas entre os profissionais de Testes

- Comecei a estudar tecnologias futuras sobre Hands Free

- Palestrei em 2 empresas

   


Mas ainda ficou o gostinho que fiz pouco, não vou cair na besteira de prometer algo para o ano que vem novamente, mas que tudo seja um pouco melhor.

Reporte de Bugs

Posted by 4AllTesters on December 22, 2014 at 9:25 AM Comments comments (2)

O Júlio de Lima pediu pra eu falar sobre "Como melhorar o reporte de bugs".


Isso me surpreendeu por dois motivos. O primeiro, é que eu não estava acostumado com o uso de 'reporte' como substantivo.

O segundo motivo é o fato de entre todos os assuntos que apareceram até agora durante o desafio, este é o que mais combina comigo - obrigado pela escolha e pela aula de vocabulário, Júlio!

 



Reporte de bugs é que é um tópico muito amplo, e dá para escrever um sem-fim de artigos sobre isso!


Escolhi escrever um texto bem especifico, sobre a maneira de escrever um relatório de bug. Esses textos de reporte são de extrema importância na atividade de testes: Nosso esforço tem como objetivo descobrir informação sobre áreas de risco, e a maneira de expor essa informação é reportando os defeitos encontrados.


Descrições detalhadas tornam-se mais valiosas ao incluir evidencias (logs, screenshots, códigos de erro), ao definir quais as condições mínimas para replicação da falha, ao incluir os passos executados durante o debug. Mas talvez o mais importante seja seu título! Se os relatórios são parte essencial de nossa atividade de testes, os títulos são o coração dos relatórios.

 


Um bom título é um ponto onde mesmo um melhora pequena tem benefício multiplicado e grandes resultados.

Ha vários motivos para a importância dos títulos: É o primeiro encontro que qualquer um (parceiro de equipe, programador, gerente, cliente) tem com o problema exposto. Durante reuniões de triagem, poucas vezes há tempo ou vontade de ler mais do que esse resumo de uma linha. E muitos times optam por uma administração de defeitos mais ligeira, com post-its ou adições as estórias de desenvolvimento, onde não há necessidade (ou espaço) para mais que um cabeçalho.

 

Neste artigo, vou defender a apresentação dos bugs em linguagem de negócio e não técnica. Que o título contenha o efeito no negócio ao invés da descrição técnica do problema.

Ao usar uma linguagem genérica que se adapta ao negócio, detachamos o problema técnico e criamos uma conversação sobre risco e sobre valor ao cliente. Especificamente, ganhamos:

  • Melhor exposição do problema real
  • Decisões de severidade mais precisas
  • Decisões com encarregados do negócio
  • Menor autoridade técnica nas discussões sobre o bug



Mais fácil do que explicar esses benefícios, vamos dar exemplos:

 

[Versão a] Error 404 ao abrir link 'conexões' na página order.aspx.

[Versão b] Não existe informação disponível sobre os tipos de conexão durante a encomenda.

Qual a severidade da primeira versão do bug? Alguém precisa explicar qual a página order.aspx, que informação existe nela e no link, quais as outras formas de obter esse conhecimento. No segundo, isso está explicado. Quem toma as decisões de negócio pode com facilidade decidir a severidade deste bug.

 

[Versão a] BSoD (tela azul) acontece quando momentaneamente não há memória disponível no dispositivo.

[Versão b] Usuário perde controle do sistema operacional - potencial perda de dados! - de forma esporádica (maiores chances com uso extensivo do dispositivo).

Ficou mais comprido, eu sei. Mas a nova versão permite ao gerente, PO, ou outros encarregados do negócio participar da decisão sobre como e quando concertar. Apesar da reprodução do bug ser consistente quando não há acesso a memória, o acesso a memória não é consistente, e a segunda versão dá uma chance a interessados de perguntar sobre a frequência em que isto pode acontecer.

 

[Versão a] Drag-and-drop não habilitado para sub-itens no Chrome (versão 8 e acima)

[Versão b] Adição ao catalogo é feita diferente em navegadores Chrome (14% dos clientes)

Neste caso, não apenas a informação do impacto ao usuário é clara, como ela remove a discussão técnica. Um debate típico sobre o primeiro título incluiria "é obvio, a biblioteca gráfica que usamos não suporta Chrome" e logo estaríamos em uma argumentação técnica sobre a biblioteca. No segundo título, por outro lado, a conversa será sobre a experiência que gostaríamos de prover a um de cada oito usuários, sem autoridade técnica.

 


Espero que esses exemplos tenham deixado claro umas sugestões sobre como escrever os títulos, mas também esclarecido os benefícios de uma abordagem que foca o negócio:

  • Melhor exposição do problema real
  • Decisões de severidade mais precisas
  • Decisões com encarregados do negócio
  • Menor autoridade técnica nas discussões sobre o bug

 

Boa sorte - qualquer pergunta ou reclamação é bem-vinda!


Shmuel

O Mundo dos Testes de Software

Posted by JJ on December 11, 2014 at 9:15 AM Comments comments (2)

O mundo dos testes vai muito além do simples "Testa aí".


Quando escuto um "Testa aí", tenho aquela sensação que é descrita por aqueles que estão(ou estiveram) à beira da morte:
"Ver toda a sua vida diante dos seus olhos".


Ou seja: Quando escuto um "Testa aí" vejo todo o mundo de Testes passar diante dos olhos e descubro que não é tão simples quanto a frase de 2 palavras a diz.




Por isso, há algum tempo venho trabalhando no projeto do "Aprendendo Testar" e moldando um "livro"(o qual no grupo de testes já foi comentado até para fazermos um Wiki- Oliveira, o Gabriel; entre outras idéias)[lançamento 2015].

Neste livro, venho escrevendo várias coisas da BASE do que seria para mim(e agora para o grupo, pois abri ao grupo para escreverem e me ajudarem), uma Base de Testes de Software. Aquele caminho que seria mesmo utilizado e visto em qualquer lugar que você vá trabalhar.

Desde aquela euquipe em uma startup, até aquela euquipe em uma empresa já sólida porém que não tem um, como posso colocar, um Fluxo Conceito de Testes.  Desde aquela empresa que tenha uma equipe com 2, 3, 5 testers, até aquela que tem 100 testers.

 

O certo é que toda empresa tem seu próprio processo de desenvolvimento de software(utilizando como base metodologias, ou até criando a sua), e o software precisa ter qualidade, para alcançar a qualidade, existem várias coisas a serem feitas e ferramentas que podem auxiliar, os Testes, seriam na minha visão, uma "ferramenta" para se obter mais qualidade em um software. 

Para explicar este livro, desenvolvi a palestra que mostra como o mundo de testes de software em sua base, não é somente um Testa aí, ela foi apresentada no Tech Day(Evento da Softplan, para seus colaboradores), que contou com mais outras 3 palestras e cerca de 120 participantes em sua maioria de Testadores. 



Slides da Palestra abaixo:


Abaixo segue o Mind Map deste mundo, este mind map, é a base do Livro, e está aberto à você que queira participar da construção deste livro, pegar um dos temas e suas ramificações e escrever seus conceitos. 


O livro será Gratuito E-Book, e talvez quem o quiser em meios fisicos, apenas custear sua impressão no formato correto.


O livro O Mundo dos Testes será volumado de 2 em 2 anos, com o primeiro volume sendo lançado em 2015.


Se interessou? Entre em contato.

Ciência do Teste de Software

Posted by JJ on December 8, 2014 at 10:10 AM Comments comments (0)
Mais uma fase de evolução natural do Portal Aprendendo a Testar.



A página Ciência, mostrará referências bibliograficas para estudo, pesquisa, trabalhos, modelos e processos para o Mundo dos Testes de Software.

 

Iniciei esta seção querendo chama-la de Literatura, porém, como em tudo o que tento passar busco fontes e pesquiso sobre aquilo.

 

"A Literatura é a arte de compor e expor escritos artísticos, em prosa ou em verso, de acordo com princípios teóricos e práticos, o exercício dessa arte ou da eloquência e poesia."

 

Conjunto de obras literárias: 1 bibliografia.
Conjunto de escritores: 2 autores, escritores, poetas.
Saber e erudição: 3 ciência, erudição, instrução, letradura, letras, saber.

 

Então após fazer algumas pesquisas e estudar um pouco, dei o nome de: Ciência.


"Em sentido estrito, ciência refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico bem como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tais pesquisasRef."


Qual o Objetivo desta sessão? 


Um lugar que possamos consultar e ver vários tipos de livros, monografias, artigos cientificos, colunas de revistas e tudo mais sobre Testes de Software.

Quem tiver, ou conhecer alguém que tem, basta enviar este link e pedir para pessoa preencher.

 


Então, é isso, espero que seja util para quem precise.

Quem sao OS testadores?

Posted by JJ on October 30, 2014 at 1:05 PM Comments comments (16)

Essa semana vi no site da EXAME, uma matéria interessante sobre os 22 programadores mais importantes da história.

Então estive pensando, conseguiriamos fazer algo semelhante com os Testadores mais importantes da história?


Acho que diferente disso, poderiamos ver os mais influentes atualmente, em diferentes ambitos e tipos de locais, cada um influencia de alguma forma eis, que selecionei algumas pessoas da nossa área, dignas de serem seguidas. Mais do que isso, serem lembradas e reconhecidas pelo trabalho que prestam às comunidades de testes.


Estive preparando uma série de posts em video sobre os profissionais da área, porém, não deu muito certo, então terei que moldar a forma deste projeto,  em suma, como seria um time com tais personagens?




Cristiano Caetano

Já foi em alguma palestra? Curso? Viu o E-Book CVS? Então já ouviu falar dele. Fundador da Qualister uma das empresas de Treinamento e Consultoria de Testes maiores do país, ele trabalha com tudo o que já apareceu e com o que aparece em testes de software no Brasil.

 


Camilo Ribeiro @Camiloribeiro

Se você procurou algo sobre testes no google você já leu alguma coisa que o Camilo Escreveu. Hoje agilista, mora na Suécia e trabalha com Testes Ágeis, conhce tudo de automação e mais um pouco, nas comunidades que participa sempre é destaque e também na humildade.

 


Elias Nogueira @eliasnogueira

Já estudou selenium? Procurou algo de automação de Testes no Brasil? Foi em eventos pelo Brasil a fora? Então 'tu conheces' ele, hoje professor de testes e palestrante, já ajudou muita gente e continua trabalhando. Também é agilista.


 

Eduardo Souza

Qualidadedesoftware.com, Test Day, são alguns projetos deste garoto. O cara da automação de testes, hoje trabalha com automação de testes e inteligencia artificial para e-commerce.


Robson Agapito @robsonagapito

Coordenador de Testes na Locaweb um dos lideres do Testadores.com, Robson atua nas comunidades de Testes com frequência, hoje palestra e trabalha com gerenciamento de testes e automação. Já foi professor na Iterasys por alguns anos.

 


José Correia

Fundador da Iterasys, em São Paulo quem não fez curso de testes com ele? Palestrante e consultor de testes à vários anos. Correia sempre traz novidades e informações às comunidades de Testes de Software.

 


Alan Correia

Falou Microsoft falou Alan, é o cara de Testes da Comunida Microsoft no Brasil. Especialista em ALM, hoje coordena e dá consultoria em várias empresas de desenvolvimento da plataforma microsoft. É o coordenador da Trilha de Testes do TDC em São Paulo e criador do Testing Dojo Brasil.


 

Leonardo Galani @avontz

A doçura em pessoa. Galani é o fundador do Agile Testers, agilista de alma, se há alguma coisa de automação de testes possivelmente tu podes procura-lo para tirar dúvidas(mas antes da uma gugada).

 


José Carrera

Automação de Testes em Recife é com ele, é mestre e já deu várias palestras, treinamentos. Atualmente é um dos lideres do grupo que venceu a disputa sulamericana da Copa do Mundo de Testes de Software.

 


Sara Pimentel @sarahpimentel

Com o blog Ensaios da Qualidade, Sarah ajudou muitas pessoas com vários artigos, palestrou para milhares de ouvintes em vários eventos no país, hoje faz parte da comissão da Copa do Mundo de Testes de Software e mora na Europa representando nossa área de Testes la fora.


 

 

Daniel Amorim

Palestrante, agilista, blogueiro, trabalha com testes ágeis, vem se destacando na automação de testes e testes ágeis, com palestras em eventos internacionais.



Alguns nomes que não podiam ficar fora dessa lista são: 

Julio Lima - Palestrante e escritor

Augusto Magalhães - Lider da Comunidade de Testes do Ceará

Stefan Teixeira - Palestrante e escritor.

Samanta Cicilia - Palestrante e escritora

Sandy Maciel - Escritora

Gabriel Oliveira - Organizador do Hanghout with Testers Brasil.

Shmuel Gherson - Palestrante e Testador de tecnologias futuras da Intel em Israel.

Jorge Diz, Ramses Sacol, Frederico Allan, Thiago Luna, Icaro Rocha, Cristine Candeloro - Top Testers completam a seleção.

10 testadores que não precisam saber programar

Posted by JJ on October 17, 2014 at 6:40 AM Comments comments (1)

 

Testador


 

Essa eu nunca imaginei.

É chamado testador aquele que faz o seu testamento; testamenteiro o encarregado pelo testamento ; herdeiros os contemplados com o patrimônio sem individualização e legatários os contemplados por bens individualizados.

Veja



Testador de Amostras


Esse é um testador "vip", é o Beta tester dos mais diversos produtos, desde chicletes, balas, até computadores e tablets. Se liga no Clube dos Testadores.

Veja


 

Testador de Medicamentos


Sim, não, um rato, é... não, não é um rato. Tem voluntários cadastrados para serem utilizados nos testes de medicamentos. Nem é melhor fazer piada, algumas doenças são serissimas e pessoas podem estar precisando tanto que se propõe a serem utilizadas nos testes.

Veja  Também

 


Testador de Airbag pra moto

 

Dublê profissional:

Veja

 

 

Testador de Maquiagem

 

Avaliar se causa algum tipo de alergia não é a única atividade dessa profissão, elas também veem em tipos de pele e fazem relatórios extensos.

 


Testador de Toboágua

 

Saiu numa agência de empregos uma notícia sobre um clube que estava contratando

Veja

 

 

Testador de Produtos de Sex Shop

 

Esse foi uma vaga que saiu na mídia e foi alvoroço na época.

Veja

 

 

Testador de Veículos

 

Ele faz testes que verificam a dirigibilidade, aceleraçao, frenagem do carro, claro que em uma pista fechada da montadora com toda a seguranca, só por curiosidade ele não testa os air-bags esta função fica por conta de um robo que tem a capacidade de ver quanto de dano a pessoa vai tomar.

 

 

Testador de Jogos de Video Games (ta no nosso mundo)

 

Há algum tempo atrás, saiu uma vaga inusitada. Testador que precisava jogar video game e ter português fluente (*-* sonhoooo). Sim, para morar em londres, porém receber cerca de miseros 3k(queh mais o quê maluco?).

Veja

 


Testador de Cerveja(essa todo mundo quer)

Veja noticia sobre uma vaga:

O profissional terá outras tarefas além de beber cerveja. O escolhido irá visitar bares, conhecer mais sobre a história da Guinness e irá relatar a (árdua) experiência. Também irá visitar a fábrica da bebida na Irlanda. Para participar, o candidato deve ter mais de 19 anos e mínimo de 1 ano de experiência em beber cerveja.

Empresas possíveis: Guinness, Ambev.

 

 


Sim, todos são profissionais, recebem para isso.

Agora se tu quer uma vaga de Testador na Área de Testes de Software, além de conhecer muito bem o negócio, que tal começar a aprender sobre como é construído?

Segue um site com zilhões de vagas



Rss_feed